quarta-feira, 31 de maio de 2017

Categorias:
, ,

Resenha: Punho de Ferro – 1ª temporada

Punho de Ferro - Netflix - 1ª temporada

Atenção: esta resenha contém spoilers!

Quando assisti ao primeiro episódio de Punho de Ferro a sensação que eu tive é que essa seria uma série mais clara do que as outras séries da Marvel/Netflix. E ela realmente é. As cenas noturnas são poucas, e mesmo as cenas diurnas tendo um tom mais escuro e acinzentado, não chega a ser tão escuro quanto as outras séries, como Jessica Jones, por exemplo. Também, desde o primeiro episódio você já percebe o bom humor da série, que está presente nas situações e nos personagens. Apesar do drama (que é bem mais leve que os das outras séries), essa é uma série bem humorada, porque seu protagonista é bem humorado.

Outra coisa de Punho de Ferro que gostei foram as referências às outras séries da Marvel/Netflix, que estão presentes na temporada inteira. Enquanto as outras séries faziam referências aos heróis dos filmes, para mostrar que estão no mesmo universo, Punho de Ferro se preocupou mais em mostrar que as séries estão no mesmo universo. Gostei quando apareceu Hogarth, logo no terceiro episódio, porque pelo menos entrou uma personagem já conhecida e que foi bem desenvolvida em Jessica Jones. Ela é uma personagem forte e carismática, e a sua aparição nessa série foi boa para ajudar no elenco de personagens coadjuvantes, que no começo não me agradou muito. Foi só uma pena que ela teve participação breve. Mas é bom ver esse tipo de conexão entre os personagens das séries indo além de Claire.

Falando sobre os personagens coadjuvantes, de um modo geral são todos bons, mas no começo nenhum deles me convenceu. Só Joy que consegui gostar desde o começo, porque ela é um enigma (e continua sendo em todos os episódios), sempre mudando de lado. Às vezes ela está do lado do bem, às vezes não, mas não se dá conta disso. Ela tem uma forte batalha interna sobre os interesses da empresa, o lucro e o seu crescimento pessoal contra a sua moral e ética.

Punho de Ferro - Netflix - 1ª temporada (2)

Colleen no começo é bem chata, e acho sem sentido aquelas lutas livres que ela participa, porque aquilo não se encaixa em lugar nenhum. Depois dela ter feito a recomendação aos seus alunos para que não lutassem por dinheiro, é isso o que ela faz. E depois, do nada ela desiste. Essa parte fica deslocada do restante da série, e poderia ser descartada. Acho que o criador da série não tinha ideia de como desenvolvê-la no começo, e por isso fez assim. Só depois dessa fase, quando do nada (de novo) ela decide ficar do lado de Danny, é que as coisas vão melhorando. Ela vai além de uma professora de lutas, e aos poucos vamos descobrindo isso. Essa parte do seu desenvolvimento (que por sorte é a que vemos na maior parte da temporada) é mais interessante.

Outra personagem chata, mas não só no começo, é Claire, a nossa amada Claire. Em Luke Cage ela já tinha decidido que a sua missão no mundo era esta: a de ajudar pessoas com superpoderes. Mas logo quando ela conhece Danny acha ruim essa sua “sorte”. E ela fica chata durante vários episódios, sendo uma pessoa grossa e que parece que está fazendo aquilo só por obrigação. Ela vive reclamando e dando lição de moral. Só nos últimos episódios, já acabando a temporada, é que ela melhora e passa a parecer mais com a Claire que já conhecíamos. Eu também achava ela chata em Demolidor, mas espero que em Defensores ela não fique assim, porque essa é uma fase que já passou. Já está mais do que na hora dela se aceitar nesse seu ofício.

Harold e Ward são dois personagens que foram bem desenvolvidos do início ao fim. Os dois mudam ao longo dos episódios, mudando pensamentos, comportamentos e personalidades. David Wenham, que faz Harold, e Tom Pelphrey, que faz Ward, atuaram muito bem.

E o grande vilão, mas que não recebe todo o foco de Danny, é o Tentáculo, representado pela Madame Gao, que nos surpreende várias vezes. Ela se mostra imponente, poderosa, sábia e manipuladora. Ela sabe de tudo, não deixa nada barato e tudo o que faz tem um motivo. Em Punho de Ferro descobrimos que ela tem poderes, mas ao mesmo tempo não sabemos quais são exatamente e nem qual a extensão deles. Também não sabemos em detalhes a sua origem e nem como se tornou quem é. O negócio é que na temporada toda ela se mostrou poderosa, e descobrimos esse seu outro lado, que não sabíamos que existia quando ela apareceu pela primeira vez em Demolidor. Punho de Ferro não revela muita coisa sobre a véa Madame Gao, e ela ainda continua cercada de mistérios. Ela ainda pode nos surpreender muito.

Punho de Ferro - Netflix - Madame Gao

Davos aparece de forma estranha, como um cara mal encarado. Depois da revelação de quem ele é (o amigo de Danny em Kun-Lun) e da briga que ele teve com Danny, vi muita gente dizendo que ele era apaixonado por Danny e estava com raiva por ele ter escolhido Colleen. Eu nunca vi comentários e um raciocínio tão simplório como esse. Davos não era apaixonado por Danny, e a todo o momento a série deixa claro que o motivo da raiva dele é que primeiro, ele queria ser o Punho de Ferro, por já ser natural de Kun-Lun, enquanto que Danny, um estrangeiro, ficou com esse lugar. E o segundo motivo, que foi o pior para ele, é o fato de Danny ter abandonado Kun-Lun sem ter avisado nada a ninguém. Então pense comigo: Danny “roubou” o lugar de Davos como Punho de Ferro, e no fim de tudo abandonou o seu posto, o lugar que lhe acolheu, e o seu amigo. Ele tem motivos para ficar com raiva de Danny, principalmente porque, ao contrário de Danny, que é do mundo comum, Davos é natural de Kun-Lun, e por isso tudo o que ele faz e acredita é em nome da sua terra, das suas crenças e do seu povo. Ele só defende aquilo que acredita. Ver Danny namorar Colleen foi só mais um fator, não pelo namoro em si, mas sim por ela ser do Tentáculo. A partir de certo momento passei a desconfiar que ele se tornaria um vilão, por tudo o que ele já tinha mostrado da sua personalidade e modo pensar, e isso foi confirmado no último episódio. Desconfio que ele se tornará uma espécie de Punho de Ferro do mal, com a cor da mão diferente, para diferenciar da de Danny. Não conheço os quadrinhos, mas foi isso o que a série me deixou de impressão.

A série tem alguns furos no roteiro de alguns episódios individualmente, mas nada que atrapalhe a experiência geral e nem a história como um todo. Às vezes o roteiro recorria a soluções fáceis, como a questão dele dirigir carro sem carteira. No início da temporada ele diz: “será que eu ainda me lembro do que meu pai me ensinou?”, mas ele era só uma criança na época! E depois já está dirigindo, mesmo sem carteira, e a desculpa é: “eu sou rico”, como se isso resolvesse todos os seus problemas.

Danny ainda não usa máscara e uniforme nessa primeira temporada, e parece estar muito bem assim, mas se mostrou perigoso. Jessica Jones teve problemas com a justiça, e Luke Cage ficou conhecido pela mídia e foi preso. Danny chegou a parar nos jornais. Pouca gente sabe que ele é o Punho de Ferro, mas os que sabem, inclusive o Tentáculo, já são o suficiente para lhe fazer correr perigo. Talvez, partindo desse ponto, ele precise colocar uma máscara no futuro, até porque ele é um empresário conhecido, uma pessoa pública.

Punho de Ferro - Netflix - 1ª temporada (3)

Teve gente esperando que os Defensores começasse a ser formado daqui, ou que no mínimo deixasse um gancho no final, mas isso não aconteceu. Gente, essa é a série do Punho de Ferro né? Na série dos Defensores é que todos irão se conhecer e se juntar. E isso não deverá acontecer em um episódio só. Acho que demorará alguns episódios. Algumas pessoas (ou muitas pessoas) poderão ficar decepcionadas com isso, já que não gostam de séries lentas, e preferem ação em cima de ação. Se você reparar, a cada nova série da Marvel e Netflix que vem sendo lançada a crítica só aumenta. Demolidor foi endeusado, Jessica Jones foi criticada, Luke Cage mais criticada ainda, e agora Punho de Ferro ainda mais criticada. As pessoas não aceitam que são séries diferentes, com personagens de personalidades e histórias diferentes. Os heróis não podem ser todos iguais, cada um tem o seu estilo. Se essa tendência de críticas continuar, a série dos Defensores, da qual está todo mundo ansioso, deverá ser a mais criticada de todas.

Vi muita gente reclamando das lutas fracas, mesmo Danny sendo o maior lutador de kung fu, e de gente reclamando da falta do uso do punho com mais frequência. Realmente, é decepcionante ver alguém que passou 15 anos recluso do mundo, treinando para ser o Punho de Ferro, e depois se tornar ele, mas mesmo assim ainda ter que receber conselhos dos monges, ter dúvidas que ele não deveria mais ter, mostrar certo esforço nas lutas, e nem saber tudo porque o seu treinamento ainda não foi completado (ou seja, 15 anos, se tornou o Punho de Ferro e ainda não completou o treinamento. Os vilões sabem mais sobre seus poderes do que ele mesmo). Isso realmente é decepcionante e eu concordo. Mas sobre as lutas em si, vi muitas comparações com as lutas de Demolidor, que segundo essas pessoas são melhores. Bem, Demolidor tem um estilo de luta de ataque e é algo mais brutal, enquanto Punho de Ferro tem um estilo de luta mais para a defesa, e é algo mais limpo, porque você não vê ninguém sangrando e nem sendo espancado. Nesse caso eu discordo das críticas, porque são estilos de lutas diferentes. Kung Fu é uma luta com movimentos mais leves e coreografados, que têm toda aquela beleza visual, mas que não é brutal como as lutas que Demolidor usa. Acho que as pessoas estão com expectativas erradas sobre essas séries da Marvel/Netflix, porque querem que todas se pareçam com Demolidor nas suas lutas, mas não é bem assim. Como eu disse mais acima, as pessoas têm que entender que cada série e cada personagem tem o seu estilo, eles não podem ser todos iguais. Agora claro, algumas lutas poderiam mesmo ser melhores, como a luta do último episódio. Danny lutava com alguém que não sabia lutar e mesmo assim apanhou muito. Ao longo da série era chato ver que Danny sempre tinha que apanhar até que ele finalmente ficasse 100% e lutasse com todo o seu potencial. A desculpa para isso é dito na própria série, quando ele diz que quanto mais apanha, mais força tem. Não deveria ser assim.

Apesar de todos os erros e defeitos citados aqui, eu gostei de Punho de Ferro, porque essa é uma série leve, mais clara e mais bem humorada. As outras séries da Marvel/Netflix são mais escuras, mais dramáticas (dramáticas até demais, como Demolidor), mais fortes (como Jessica Jones) e mais sérias. Punho de Ferro não saiu do estilo realista das outras séries, mas foi o mais distante dessas características presentes nas outras séries, e eu gostei justamente por isso, porque deu uma diferenciada. É bom assistir algo mais leve. Toda vez que acabava um episódio eu falava: “Mas já?!”. O final dos episódios não deixavam suspense para o próximo, mas mesmo assim eu ficava com vontade de assistir logo. O último episódio deixou uma boa ponta para a próxima temporada. Estou ansioso pelo que vem por aí.

Nota: